Tarifas bancárias

Responsável: Banco Central (Bacen).

As tarifas bancárias são valores cobrados pelas instituições financeiras (bancos, cooperativas de créditos, etc.) para prover serviços aos seus respectivos clientes, tais como: a) emissão de talão de cheques; b) saldos; c) extratos; d) transferências; e) segunda via de cartão; f) tarifas de manutenção de conta; g) entre outros.

Vale registrar que essas cobranças só podem ser feitas com sua aprovação, seja assinando um contrato físico ou digital, apertando um botão de "concordo" no site da instituição financeira ou no aplicativo ou, simplesmente, adquirindo um serviço depois de ser avisado sobre o valor cobrado.

Desde o ano de 2008, as instituições financeiras estão obrigadas a informar os valores das tarifas que cobram dos seus clientes, regra regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e Banco Central do Brasil (Bacen). Ou seja, nada de informações disfarçadas em letras que não dão para ler. Todas as tarifas precisam ficar bem visíveis para o público, seja nas agências ou no site da instituição.

Se você é cliente de uma instituição financeira e quer saber o quanto ela está cobrando por cada uma dos serviços postos à sua disposição, então pesquise seu banco (ou cooperativa, ou financeira, etc.) no formulário abaixo que forneceremos a lista de serviços com os respectivos valores atualizados diariamente:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Diferença entre taxa e tarifa:

Atenção, as tarifas bancárias são diferentes de taxas. A primeira, tarifa bancária, são opcionais e cobradas por causa dos custos dos serviços prestados ao cliente. Os exemplos práticos são: transferências via TED e DOC, emissão de folhas de cheque e saques.

As taxas, por sua vez, são obrigatórias e determinadas pelo Banco Central do Brasil (Bacen). Elas são como os juros, cobrados automaticamente quando o cliente não paga uma conta na data, sendo as mais comuns as que incidem sobre empréstimos.

Principais tarifas cobradas:

Como as tarifas são opcionais, é importante entender exatamente o que pode ser esperado das instituições financeiras. Isso aumenta o controle financeiro e não dá mais aquele susto no fim do mês quando olhar o extrato.

O pacote de serviços oferecido pelos bancos tradicionais costuma ser limitado, por isso várias tarifas podem aparecer sem que você entenda de cara porque elas estão sendo realmente cobradas. As principais cobranças recorrentes ou extras são:

  1. segunda via de cartão: emissão de segunda via para casos de perda, furto ou roubo;
  2. manutenção de conta corrente: custo fixo da mensalidade da conta para garantir as vantagens do pacote escolhido;
  3. extrato impresso: impressões acima da quantidade disponível no pacote;
  4. folhas de cheque: por cada folha a mais do que o que está incluso no pacote de serviços contratado;
  5. saques: quando extrapola a quantidade do pacote;
  6. transferências para contas do mesmo banco (exceto DOC e TED): para cada transferência a mais do que o que está no pacote de serviços. O valor varia de acordo com a plataforma onde a transferência é feita (caixa eletrônico, virtualmente, guichês de caixa das agências ou telefone);
  7. transferências para contas de outros bancos (DOC ou TED): para cada transferência a mais do que o contratado. O valor também varia de acordo com o meio onde é feito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como se livrar das tarifas bancárias?

O primeiro passo para se livrar das tarifas é analisar como você usa a sua conta. Para isso, é importante entender quais são as suas necessidades e o que está incluso no seu pacote atual. Por exemplo, você gosta de usar o cartão de crédito no dia a dia, mas a anuidade tem pesado no seu bolso. Ou então precisa fazer várias transferências no mês, mas precisa pagar por cada uma delas.

Depois que você lista tudo o que usa e precisa, fica mais fácil escolher uma conta que te ajude. E se o objetivo é economizar ainda mais, uma alternativa são as contas digitais com várias vantagens gratuitas. Normalmente, essas contas oferecem várias facilidades e serviços adicionais sem custo, como transferências grátis via Pix ou TED, cartão sem anuidade e programa de recompensas e descontos.

Outra alternativa são as contas universitárias, feitas para jovens estudantes que querem ter uma contas bancária sem tarifas e/ou taxas, ou, no mínimo, uma boa redução nelas.

O que é uma conta digital?

A conta digital é uma modalidade de conta que possui serviços ilimitados e gratuitos quando executados exclusivamente através de meios eletrônicos. Assim, se você utiliza o internet banking com regularidade, essa conta pode ser uma opção bastante vantajosa.

São consideradas, para efeito da gratuidade do serviço, qualquer operação realizada pelo internet banking através de tablets, smartphones, notebooks, computadores e caixas eletrônicos, tais como:

  1. abertura da conta;
  2. TED e DOC;
  3. consulta de saldo e extrato bancário via internet;
  4. saques e depósitos via caixa eletrônico;
  5. pagamento de contas e débito automático;
  6. cartão de débito via correio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que fazer se o banco cobrar indevidamente uma tarifa?

A melhor maneira de identificar cobranças indevidas pelo banco é analisar o extrato bancário todos os mês, assim, você pode identificar uma cobrança indevida rapidamente. Ocorrendo o fato, você precisa entrar em contato com a central de atendimento ou gerente da conta imediatamente.

Vale mencionar que o banco é obrigado a explicar a cobrança detalhadamente, podendo o cliente argumentar ao seu favor. Se o cliente estiver certo, o banco deverá estornar a cobrança.

Os bancos podem aumentar o valor das tarifas?

Sim, podem. Porém, para os clientes pessoas físicas o banco precisa avisar sobre o aumento com antecedência de:

  1. 45 dias para tarifas relacionadas ao cartão de crédito;
  2. 30 dias para os demais serviços, inclusive para os pacotes padronizados.

Saiba mais:

Acesse nossa tag "Tarifa bancária" e saiba mais sobre o assunto:

Tarifa bancária

Códigos dos bancos e ISPB:

Disponibilizamos em nosso sistema uma lista completa com os códigos de bancos (ou número do banco) e dos Identificadores do Sistema de Pagamento Brasileiro (ISPB) utilizados para enviar ou receber transferências entre diferentes instituições financeiras. Podemos citar como exemplo, a transferência de dinheiro do Banco Bradesco para o Santander; do Banco do Brasil para o Itaú, etc. Portanto, o número do banco sempre será necessário quando você tentar fazer uma transferência via Documento de Ordem de Crédito (DOC) ou Transferência Eletrônica Disponível (TED).

Acesse o link abaixo para conferir. Você pode estudar o tema e pesquisar os códigos do seu banco:

Códigos dos bancos e ISPB

ACOMPANHE AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI): Aspectos gerais da industrialização

Examinaremos no presente Roteiro de Procedimentos o conceito de industrialização, bem como suas características e modalidades, para fins de tributação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Para tanto, utilizaremos como base de estudo o Regulamento do IPI (RIPI/2010), aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010, bem como outras fontes legais e normativas citadas ao longo do trabalho. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Crédito fiscal do IPI: Escrituração extemporânea de documento fiscal

Analisaremos no presente Roteiro de Procedimentos as disposições normativas presentes na legislação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a respeito da escrituração extemporânea de documento fiscal, com foco no direito do creditamento fiscal nessas situações. Para tanto, utilizaremos como base de estudo principal o Regulamento do IPI (RIPI/2010), aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Rede de drogarias é condenada pela prática de racismo recreativo contra atendente de loja

A 6ª Turma do TRT da 2ª Região confirmou sentença que condenou uma rede de drogarias a indenizar empregada vítima de racismo no ambiente de trabalho. A conduta ficou comprovada com vídeo de apresentação da empregada, contendo falas ofensivas de outra trabalhadora da ré sobre a cor da pele da mulher agredida. No material, que circulou em grupo do WhatsApp da loja, a ofensora disse frases como "a loja está escurecendo" e "acabou a cota, negrinho não entr (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Acórdão reconhece vínculo empregatício de pastor com igreja evangélica

A 17ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região reconheceu a existência de vínculo empregatício entre um pastor evangélico e a Igreja Mundial do Poder de Deus. O colegiado manteve decisão de 1º grau que entendeu estarem presentes todos os elementos caracterizadores da relação de emprego. Também confirmou desvio de finalidade da instituição por priorizar as arrecadações financeiras em vez das práticas voltadas à comunidade de fieis. Seg (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Atendente que recebia auxílio-transporte e se deslocou de bicicleta ao trabalho não recebe indenização

A 6ª Turma do TRT da 2ª Região afastou responsabilidade civil do empregador em acidente de bicicleta sofrido por atendente de lanchonete rumo ao serviço. Os magistrados entenderam que a mulher alterou sua forma de locomoção ao trabalho por vontade própria, já que recebia vale-transporte para utilizar transporte público. Assim, o colegiado negou o pagamento de indenização por danos materiais, morais e estéticos, confirmando sentença proferida na 4ª Vara (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Sindicato e escritório de advocacia são condenados por cobrarem honorários de trabalhadores

A Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho condenou um sindicato do Espírito Santo e um escritório de advocacia a pagarem R$ 60 mil por dano moral coletivo. A razão é que eles ficavam com parte dos créditos recebidos pelos trabalhadores sindicalizados em ações judiciais em que eram representados pela entidade sindical. Para o colegiado, a cobrança é ilegal e tem impacto social. Honorários A ação civil pública foi apresentada pelo Ministério P (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Atendente que não foi chamado pelo nome social será indenizado

A Justiça do Trabalho da 2ª Região condenou rede de farmácias a pagar R$ 15 mil em dano extrapatrimonial para atendente transexual por desrespeito à identidade de gênero e ao pedido pelo uso do nome social no ambiente de trabalho. De acordo com a sentença proferida na 46ª Vara do Trabalho de São Paulo-SP, todos os registros funcionais, até o término do contrato, desprezaram o nome social do empregado. Em depoimento, testemunha declarou que o superior h (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


STF mantém entendimento sobre fim de eficácia de decisões definitivas em matéria tributária

Ao julgar recursos apresentados por empresas, o Supremo Tribunal Federal (STF) manteve, nesta quinta-feira (4), o entendimento de que uma decisão definitiva sobre tributos recolhidos de forma continuada perde seus efeitos quando a Corte se pronunciar, posteriormente, em sentido contrário. Por maioria de votos, os recursos (embargos de declaração) foram atendidos apenas para não permitir a cobrança de multas tributárias, de qualquer natureza, dos contribuin (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (Assuntos gerais sobre tributação)


Arbitramento do IPI

Analisaremos em detalhes o que a legislação do IPI tem a nos dizer sobre o arbitramento do valor tributável das operações ou qualquer dos seus elementos, quando forem omissos ou não merecerem fé os documentos expedidos pelas partes. Para tanto, utilizaremos como base os artigos 197 a 199 do RIPI/2010, aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010, bem como o artigo 148 do CTN/1966, aprovado pela Lei nº 5.172/1966. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Livros fiscais do IPI

Analisaremos no presente Roteiro de Procedimentos o que a legislação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) versa sobre o assunto livros fiscais. É um tema que todos que militam na área tributária devem estar antenados, pois a manutenção dos livros fiscais evitam multas administrativas desnecessárias, bem como a escrituração correta desses mesmos livros garante o correto creditamento do imposto. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Códigos de Recolhimento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para utilização no Darf

No campo 04 do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), campo este denominado de Código de Receita (CR), deve ser informado o código correspondente ao tributo Federal (contribuição, imposto ou taxa) que está sendo recolhido aos cofres do Governo, conforme a Tabela de Códigos publicada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), órgão responsável pela cobrança dos tributos Federais. No caso do Imposto sobre Produtos Industrializados ( (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Analista de suporte que atuava como pessoa jurídica obtém vínculo de emprego

Sentença da 1ª Vara do Trabalho de Carapicuíba-SP reconheceu o vínculo empregatício entre uma empresa de tecnologia e um trabalhador sem registro em carteira de trabalho. O homem alegou que atuava como pessoa jurídica (PJ), mas que o modelo era apenas uma forma de mascarar a relação de emprego. Em contestação, a empresa apresentou decisões recentes do Supremo Tribunal Federal (STF) para argumentar pela legalidade da forma de contrato. Mas, para o juiz (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Imposto de Renda 2024: saiba como declarar venda de imóveis e carro financiado

No momento de declarar o Imposto de Renda, muitos contribuintes se deparam com dúvidas sobre como relatar transações envolvendo imóveis e automóveis. Esses questionamentos, frequentemente, referem-se aos processos de compra, venda e financiamento, e à forma como esses eventos influenciam a tributação. Aqui está um guia simples para esclarecer esses pontos-chaves da declaração do IR em 2024. Declaração de venda de imóveis Ao vender um imóvel, o c (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF))


Atuação como militante sindical não caracteriza relação de emprego

Uma mulher que prestou serviços para entidade sindical por oito anos não obteve reconhecimento de vínculo empregatício com o sindicato, como pretendia em reclamação trabalhista. Para o juízo de 1º grau, ficou evidente a ocupação dela como militante sindical, não como empregada daquela associação. A trabalhadora conta que atuou de 2015 a 2023 no Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas Mecânicas e de Material Elétrico de São Paulo, (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


STF define que segurado não pode escolher cálculo mais benéfico para benefício da Previdência

Por maioria, o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que a regra de transição do fator previdenciário, utilizada para o cálculo do benefício dos segurados filiados antes da Lei 9.876/1999, é de aplicação obrigatória. Prevaleceu o entendimento de que, como a Constituição Federal veda a aplicação de critérios diferenciados para a concessão de benefícios, não é possível que o segurado escolha uma forma de cálculo que lhe seja mais benéfica. Tam (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito previdenciário)


Bancário pode ser remunerado por minuto em que exerce função de caixa dentro da jornada

A Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve a validade de disposição do regulamento interno da Caixa Econômica Federal (CEF) que prevê a remuneração proporcional aos minutos dedicados pelos bancários à função de caixa. Para o colegiado, essa norma, conhecida como "caixa-minuto", está alinhada ao poder diretivo do empregador e não constitui alteração contratual lesiva aos funcionários. Risco de erro O Sindicato dos Empregados em Estab (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Me chamo Raphael AMARAL e sou o idealizador deste Portal. Aqui, todas as publicações são de livre acesso e 100% gratuitas, sendo que a ajuda que recebemos dos leitores é uma das poucas fontes de renda que possuímos. Devido aos altos custos, estamos com dificuldades em mantê-lo funcionando, assim, pedimos sua doação.

Doações via Pix:

Que tal a proposta: Acessou um conteúdo e gostou, faça um Pix para nos ajudar:

Doações mensais:

Cadastre-se na lista de doadores mensais. A doação é realizada através de ambiente seguro, protegido e pode ser cancelada a qualquer momento:



Transferências bancárias e parcerias:

Se prefirir efetuar transferência bancária, entre em contato pelo fale Conosco e solicite os dados bancários. Também estamos abertos para parcerias.